Como alcançar o peso ideal e a forma física desejada

Esse artigo apresenta resumidamente:

  • Que tipo de saúde e de condição física podemos esperar como resultado da nossa alimentação;
  • De que qualidade de alimentação depende uma vida saudável e com o peso ideal;
  • Quais outros fatores contribuem ao sobrepeso e à obesidade;
  • O que fazer para alcançar o peso ideal e a forma física desejada.

_______________________________

O conhecido adágio dos nutricionistas: “nós somos o que comemos” – é uma realidade no que diz respeito à saúde e à condição física.

E é exatamente aí que se encontra o problema: que tipo de saúde e de condição física podemos esperar de uma alimentação baseada numa alta ingestão de carboidratos, açúcares e doces de todos os tipos, corantes artificiais, alimentos industrializados, embutidos, enlatados, conservantes, frituras, gordura hidrogenada, farinhas brancas, glúten, refrigerantes, sal refinado, etc.?

Uma vida saudável depende de uma alimentação adequada – com todos os nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo, aliada a atividade física regular, sono adequado e reparador e medidas antiestresse e antiansiedade, como musicoterapia, por exemplo.

Uma forma de saber se estamos indo na direção correta é comparando a nossa alimentação diária com o que é considerado saudável por especialistas em nutrição:

  • Água Alcalinizante: pura e alcalina (com pH superior a 8,0).
  • Vegetais Alcalinizantes: abóbora, acelga, agrião, aipo, alcachofra, alface, alfafa, almeirão, aveia, batata-cará, batata-doce, berinjela, beterraba, brócolis, cebola, cenoura, cevada, chicória, couve-verde, couve-flor, ervilha, escarola, espinafre, feijão, folha da beterraba, folha do brócolis, folha da mostarda, grão-de-bico, lentilha, mandioca, milho, nabo, pepino, pimentas, quinoa, rabanete, repolho, rúcula, trigo sarraceno.
  • Frutas Alcalinizantes: abacate, abacaxi, amora, banana, cereja, coco, figo, framboesa, groselha, laranja, lima, limão, maçã, mamão, maracujá, melancia, melão, morango, nectarina, pera, pêssego, tangerina, toranja, uva.
  • Oleaginosas Alcalinizantes: amêndoas, castanhas, gergelim, linhaça, nozes, etc.
  • Temperos Naturais: alecrim, alho, cebola, coentro, cominho, cúrcuma, gengibre, manjericão, orégano, pimenta, salsinha, etc.
  • Outros: Aloe vera, clorela, spirulina.

Se a sua alimentação não tem muito a ver com essa lista e está mais para o que foi descrito no segundo parágrafo, então, possivelmente você está enfrentando algum problema de saúde, de imunidade e/ou de sobrepeso. E, se não está, em breve estará, porque você não é exceção à “nós somos o que comemos”!

Além do estilo de vida pouco ou nada saudável, da alimentação inadequada e da falta de um sono reparador, outros fatores contribuem grandemente ao sobrepeso e à obesidade, tais como desequilíbrio hormonal, ansiedade, estresse, depressão, vida sedentária, problemas metabólicos e problemas intestinas.

Pessoas com sobrepeso têm maior probabilidade de desenvolver doenças como hipertensão, doenças cardiovasculares, diabetes, artrite, artrose, dificuldades respiratórias, pedras na vesícula, refluxo esofágico, cansaço e até algumas formas de câncer, tais como de intestino e de vesícula. O sobrepeso também pode afetar fatores psicológicos, diminuindo a autoestima, o que pode levar à depressão, realimentando o ciclo: depressão, sobrepeso, depressão, mais sobrepeso ainda.

Por isso é necessário um trabalho de reeducação de todos os hábitos mencionados - e não somente do hábito alimentar, que é apenas um dos fatores do sobrepeso. É preciso trabalhar para promover a saúde integral e aumentar o bem-estar das pessoas, ajudando-as a alcançar os seus objetivos – inclusive estéticos, tratando desde o fortalecimento do sistema imunitário, preventivamente, até o combate de doenças crônicas e graves, das quais a obesidade faz parte e daquelas que ela mesma é a causa.

O tratamento começa por uma avaliação do estado físico, da autoimagem e da autoestima atual da pessoa que está com problema de sobrepeso e deseja alcançar e manter o seu peso ideal. A partir daí é possível identificar e alterar os padrões mentais que desenvolveram o comportamento patológico e compulsivo de dependência por comida, resultando no aumento do peso corporal.

Há ferramentas disponíveis que, conjugadas adequadamente, facilitam alcançar e manter uma condição física mais agradável e um organismo mais saudável, tais como: iridologia, fitoterapia, trofoterapia, suplementação alimentar micelizada, psicoterapia, musicoterapia, programação neurolinguística, hipnoterapia – enfim, qualquer técnica que o terapeuta interdisciplinar julgar adequada para reprogramar os maus hábitos mencionados e assim alcançar o peso ideal e a forma física desejada.

Para mais informações ou para marcar uma consulta, entre em contato!

Att.,

Dr. Marlon Schock.